Surto de vômitos em cachorros na Inglaterra é causada por coronavírus canino

Surto de vômitos em cachorros na Inglaterra é causada por coronavírus canino

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

No fim de 2019 o Reino Unido começou a registrar um aumento nos casos de cachorros com sintomas de vômito. Agora, pesquisadores das universidades de Liverpool, Lancaster, Manchester e Bristol, todas na Inglaterra, identificaram que o quadro é causado por uma variação do vírus CeCoV, conhecido como coronavírus canino.

É importante ressaltar que esse vírus não é o mesmo da Covid-19 e não passa para humanos (nem vice-versa). Os casos foram identificados após os cães apresentarem mais vômito do que o normal em quadros classificados como gastroenterite canina. Entre dezembro de 2019 e março de 2020 houve um aumento considerável de animais diagnosticados com a doença.

publicidade

Leia mais:

Coronavírus canino

Foi a partir disso que a equipe começou a coletar as informações dos cachorros e investigar as causas da condição. “Desenvolvemos modelos estatísticos complexos para procurar surtos de doenças. Ser capaz de detectar rapidamente o aumento da incidência, sem disparar um alarme falso de uma variação natural aleatória, é o principal problema aqui. Detecção precoce é crucial para o tratamento precoce e monitoramento aprimorado”, disse o Dr. Barry Rowlingson, da Universidade de Lancaster.

O coronavírus canino não foi registrado em gatos, apenas em cachorros. Também não há qualquer evidência de que a doença pode contaminar humanos. “A dieta e o estado de vacinação não foram associados à doença; no entanto, um coronavírus canino foi significativamente associado à doença”, diz um trecho do estudo publicado na Emerging Infectious Diseases.

A equipe trabalha agora no projeto SAVSNet-Agile, um sistema nacional para mapear a saúde dos animais na Inglaterra. “O projeto SAVSNet Agile visa fornecer informações às clínicas veterinárias locais para que possam estar alertas a quaisquer novos surtos”, completou Rowlingson.

Via Emerging Infectious Diseases

FONTE ORIGINAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suporte
Estamos online...