Sedentarismo pode causar maior risco de morte por Covid-19, diz pesquisa

Sedentarismo pode causar maior risco de morte por Covid-19, diz pesquisa

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O sedentarismo está associado a uma maior chance de morrer por Covid-19. Um novo estudo publicado pelo British Journal of Sports Medicine com quase 50 mil pacientes indica que pessoas que fizeram pouca atividade física nos últimos 2 anos são mais propensas a precisarem de internação.

Para traçar o quadro, os cientistas analisaram a evolução do quadro de 48.440 adultos que tiveram Covid-19 entre janeiro e dezembro de 2020. Foi levado em conta o estilo de vida dessas pessoas, o sedentarismo e a necessidade de hospitalização desses pacientes.

publicidade

Sedentarismo e a Covid-19

Os resultados da pesquisa mostram que, ainda sim, idade avançada e histórico de transplante de órgãos superam sedentarismo entre os os fatores de risco para desenvolver Covid-19. No entanto, quando comparado com doenças cardíacas, câncer e obesidade, a falta de atividade física é mais decisiva para complicar o quadro de coronavírus.

Leia mais:

62% dos participantes do estudo eram mulheres. A médica de idade foi de 47 anos e o IMC médio de 31, pouco acima do considerado obesidade. Metade do grupo não tinha doenças prévias, 20% tinham uma comodidade (como doença pulmonar crônica e diabetes) e 32% tinham duas ou mais comorbidades.

O grupo declarou seu nível de atividade física desde 2018. 15% dissseram que não faziam nenhum exercício por semana, 7% declararam fazer atividades regularmente (mais de 150 minutos por semana) e os outros diziam fazer algum tipo de exercício (até 149 minutos).

Dentre os quase 50 mil pacientes, 9% precisaram de internação médica. Desses, 2% morreram. O estudo concluiu que as pessoas hospitalizadas com Covid-19 que tinham hábitos de sedentarismo tinham mais que o dobro de chances de desenvolver sintomas graves da doença quando comparados a quem fazia exercícios.

Via Business Today

Para saber mais, acesse a reportagem do Olhar Digital.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

FONTE ORIGINAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suporte
Estamos online...