‘Pelé’: documentário da Netflix conta vida do Rei do Futebol

‘Pelé’: documentário da Netflix conta vida do Rei do Futebol

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

A Netflix estreia nesta terça-feira (23) ‘Pelé’, o documentário que conta a história do “Rei do futebol”. O filme inclui imagens de arquivo e entrevistas com lendários ex-companheiros de equipe, incluindo Zagallo, Jairzinho e Rivelino – além do acesso sem precedentes às entrevistas do próprio Edson Arantes do Nascimento.

O enredo cobre o período de 12 anos em que Pelé passou de jovem superastro do Santos, em 1958, a herói nacional em 1970. ‘Pelé’ é dirigido por David Tryhorn e Ben Nicholas, produzido pela Pitch Productions e conta com o cineasta vencedor do Oscar Kevin Macdonald (‘O Último Rei da Escócia’) como produtor executivo.

publicidade

 “Ele é provavelmente um dos últimos ícones vivos – senão o último – do século 20”, avalia o diretor David Tryhorn. O documentário se propõe a ir mais fundo na análise do impacto de Pelé na sociedade, muito além do filme de 2004, ‘Pelé Eterno’, do diretor brasileiro Anibal Massini, que é mais uma compilação de grandes gols do brasileiro do que um mergulho em sua vida. As referências são ‘Diego Maradona’ (2019), de Asif Kapadia, ‘Messi’ (2014), de Álex de la Iglesia.

A ideia, de acordo com os produtores, é evitar montagens de gols e entrevistas com jogadores que não são contemporâneos do atleta. “No minuto em que você começa a trazer José Mourinho ou Gary Lineker, como eles podem realmente se encaixar nessa história sem que saia por alguma tangente estranha e muito genérica?”, questiona o codiretor Ben Nicholas.

‘Pelé’ buscou imagens raras do Rei do Futebol. Imagem: Netflix/Divulgação

O jogador se tornou um ícone global, viajando pelo mundo e disputando partidas amistosas em mesmo tempo que um golpe militar levou o País à ditadura. “O Brasil antes de Pelé e o Brasil depois de Pelé são dois países totalmente diferentes em termos de identidade cultural e nacional”, acrescenta Tryhorn.

Fazer com que Pelé – um homem que já foi entrevistado inúmeras vezes – diga algo novo é um desafio em particular – especialmente quando se tratou de discutir a política da época. “Se você perguntar a qualquer brasileiro, a principal crítica contra ele tende a ser sua neutralidade: uma postura um pouco apolítica ou apática”, diz Tryhorn. “Era importante que o pressionássemos: ele deveria ter feito mais, poderia ter feito mais?”, completou.

publicidade

Cineastas vieram ao Brasil diversas vezes para entrevistar Pelé. Imagem: Netflix/Divulgação
Cineastas vieram ao Brasil diversas vezes para entrevistar Pelé. Imagem: Netflix/Divulgação

Os dois diretores passaram mais de um ano realizando entrevistas no Brasil. A primeira das oito só com o próprio Pelé foi em outubro de 2018 – e a última em janeiro de 2020. Tendo vivido no País e fluente em português, Tryhorn conduziu todas as conversas. “Os brasileiros são ferozmente patrióticos, o que é louvável. Mas acho que há algo muito bom vindo do ponto de vista de um estranho, olhando para a história de Pelé de uma forma um pouco desapaixonada”, avalia.

Apesar desse distanciamento, para o diretor, o filme é quase uma carta de amor ao Brasil. “Por mais que seja o nascimento de Pelé, é também sobre o nascimento de um país”, concluiu Tryhorn.

FONTE ORIGINAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suporte
Estamos online...