Cometa misterioso vindo de outro Sistema Solar guarda material de 4,5 bilhões de anos

Cometa misterioso vindo de outro Sistema Solar guarda material de 4,5 bilhões de anos

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O primeiro cometa interestelar a ser localizado no nosso Sistema Solar pode ser também o mais antigo já observado. Pesquisadores identificaram que o 2I / Borisov, encontrado pela primeira vez em 2019, pode ter material intacto de 4,5 bilhões de anos atrás.

Apenas um outro objeto vindo de outro sistema solar já foi visto por cientistas da terra, o asteroide Oumuamua, que ficou famoso por seu formato de panqueca e ser comparado com uma nave espacial.

publicidade

Esses cometas são misteriosos pois vem de outro Sistema Solar e carregam informações que são impossíveis de serem alcançadas pela tecnologia atual. É literalmente um pedaço de uma galáxia desconhecida sendo explorado. Os pesquisadores tentam entender agora por onde este objeto passou antes de chegar por aqui e viajar a mais de 220 quilômetros por segundo.

Segundo o estudo publicado na Nature Communications, para determinar a “idade” do Borisov, os pesquisadores o compararam com um outro cometa, o Hale-Bopp, que possui características semelhantes (apesar se não ser de outro Sistema Solar) e foi descoberto em 1997. Basicamente o Bopp é muito, muito antigo, o que nos termos astronômicos significa que ele possui boa parte de seu material original intacto.

Acontece que o Borisov possui ainda mais material preservado. O que indica que ele é mais velho que o Bopp. Muito provavelmente esse é o cometa mais puro (ou seja, velho) já visto, o que torna ainda mais importante a descoberta do objeto espacial.

Cometa Hale-Bopp (Imagem: Divulgação NASA)

Pelas pesquisas, o cometa possui um material igual ao que existia ao redor do Sol logo que ele nasceu, antes da existência de qualquer outro planeta, ou seja, há pelo menos 4,5 bilhões de anos. De forma simplificada, cometas que nasceram antes da maioria das estrelas e dos planetas possuem sua superfície mais intacta pois foram banhados por pouca luz.

No caso do Bopp, os astrônomos acreditam que ele tenha passado próximo do sol apenas uma vez quando foi descoberto. “Achamos que antes de sua aparição em 1997, ele fazia isso apenas uma vez, cerca de 4.000 anos atrás, então o material em sua superfície, quando o observamos, foi apenas ligeiramente processado pelo sol.”, explicou Stefano Bagnulo, astrônomo do Observatório Armagh, na Irlanda do Norte.

Leia mais!

Já no caso do cometa Borisov, é provável que ele nunca tenha encontrado luz até entrar em nosso Sistema Solar, o que faz ele provavelmente ser o primeiro objeto “verdadeiramente intocado” a ser visto no nosso espaço.

“O fato de os dois cometas serem notavelmente semelhantes sugere que o ambiente no qual Borisov se originou não é tão diferente em composição do ambiente no início do nosso Sistema Solar”, disse Alberto Cellino, pesquisador do Observatório Astrofísico de Torino na Itália e co-autor do estudo.

Em outra pesquisa, cientistas analisaram dados coletados pelo telescópio ALMA, no deserto do Atacama, no Chile. “Queremos saber se outros sistemas planetários se formam como o nosso, mas não podemos estudar esses sistemas. Os cometas em outros sistemas planetários estão simplesmente muito distantes e pequenos para serem vistos por nossos telescópios”, disse o autor do estudo, Bin Yang, cientista planetário do European Southern Observatory em Santiago.

Via Space.com

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

FONTE ORIGINAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suporte
Estamos online...